Auto sabotagem um perigo constante que a gente ama odiar

 

Em um certo estágio da vida, já tem uma ideia daquilo que gosta e não gosta, mais facilmente que não gostamos.

Caminhando lado a lado, despertamos nossos interesses.

Em contramão nem tudo aquilo que nos interessa, faz bem, e ai que surge a auto sabotagem.

A síndrome do pânico, por exemplo, faz com que minha mente crie situações hipotéticas que me deixam em tensão o tempo todo, o medo de passar mal, o medo de ser assaltada, assassinada, cair na mira de um serial killer, estar dentro de uma grande teoria da conspiração, sofrer um acidente de carro, alguém que a gente ama sofrer um dano terrível, morra ou  desapareça sem deixar vestígios, um estranho me matar enquanto durmo ou tomo banho, e por ai vai, a mente não tem limites.

A coisa mais inteligente a se fazer nesses casos é simples: Não consumir nada relacionado a esses fatos, não dar mais conteúdo para a mente imaginar, primeiro que ela não precisa, segundo, quanto mais você mune ela disso, mas especialista ela vai ficando.

Eu adoro filmes, séries e documentários sobre teorias de conspiração, pessoas desaparecidas, investigação criminal, estudos da mente humana, variáveis psicológicas… esses mesmo temas que me fazem mal e depois vem me perturbar durante o sono, quando eu caminho na rua ou almoço com os amigos.

Oras, então por que continuar assistindo coisas que me fazem ter gatilhos? Por vários meses eu decidi deixar de alimentar minha mente com esses temas, minha mente já estava graduada nesses assuntos.

Decidi consumir conteúdos ricos, de aprendizados intelectuais, e mentais. Mente saudável.

Meditações guiadas, educação financeira, canais de empreendorismo, elevação espiritual, os mais diversos materiais de educação mental e espiritual. OHM

A questão é, quando a gente não arruma a casa (nossa mente) não adianta o que a gente joga lá dentro, tudo vira lixo mental. As meditações me levavam a lugares que eu não queria ir, ou se queria ir e gostava, quando voltava era uma enorme frustração, minutos depois já tinha que lidar com situações do dia a dia que me tirava do meu lugar saudável e me jogava num limbo de pessoas escrotas. Você vai pensar equilíbrio mental, cadê você?

Os discursos sobre empreendorismo e educação financeira me faziam sentir que eu era só mais um coco fedido cheio de mosca, que estava estagnada e não tinha tempo, ideias ou dinheiro pra fazer de uma pequena ideia um grande negócio.

Independente do que eu assistia, conteúdos que eu consumia pela internet em portais, filmes, séries, documentários ou conversas me faziam sentir mal.

Ou eu tinha crises de pânico assistindo caso sobre desaparecidos, as curiosidades da mente humana, ou crimes não solucionados, ou eu entrava em crises de ansiedade sem saber quem eu ia ser daqui há 5 anos, o que eu queria fazer da vida, como eu vou evoluir mentalmente e financeiramente… aquela epifania que chega de repente e demora muito para ir embora, tipo aquela visita indesejada que você recebe no meio da tarde de sábado.

Um eterno looping de auto sabotagem.

 

Sabe aquela frase de impacto que a gente vê por ai em todos os lugares? “Se quer ter resultados diferentes, tenha atitudes diferentes? ”

Faz sentido? Sim, muito! Mas o que ninguém costuma dizer é: Arrume a porra da casa, esteja com a casa arrumada, se não qualquer visita será indesejada.

Eu não tenho nenhuma solução para isso, ainda busco respostas todos os dias dentro de mim, onde está aquele maldito cheiro ruim dentro da casa, que por mais que você limpe, você não sabe de onde vem. Aquele cheiro invade sua narina, se instala dentro do seu cérebro. Mesmo que sai de casa, o cheiro está gravado na sua mente, não importa quanto tempo passe, quantos cheiros você sinta, o cheiro ruim está gravado dentro da sua mente.

Descobrir como limpar as cacas da mente é uma tarefa tão difícil, tão exaustiva, que uma hora você desiste, e começa a se acostumar com cheiro ruim e acha que até pode conviver com ele. Mas quando você recebe uma visita e ela te pergunta: “De onde vem esse cheiro ruim?” Você fica sem graça e até tenta explicar que nem você sabe de onde vem o cheiro, já limpou tudo, já procurou em todos os lugares, mas não descobriu, e sabe o que parece? Que você é um desgraçado preguiçoso, que se realmente quisesse saber e limpar aquele cheiro, LOGICAMENTE você teria dado um jeito nisso.

Você, seu Maldito desgraçado e preguiçoso, porco e acomodado, se você não está pronto para receber visitas não abra porta, finja que não está. Se alguém quiser entrar, que seja pra te ajudar a procurar o cheiro e não simplesmente ficar te questionando porque demorou tanto para limpar aquela catinga que invade a casa e todos sentem.

Ninguém vai saber o que é sentir o cheiro que você está sentindo o tempo todo, o quanto você já procurou como eliminar o odor, quantos métodos você já pesquisou. Métodos eficazes, testados, comprovados que funcionaram para outras pessoas, mas por algum motivo não funciona para você.

Mas talvez, alguém tente uma maneira diferente de achar de onde vem o odor e melhor que isso, tratar o mal cheiro de uma forma mais assertiva ao invés de só tentar mascara-lo com bom ar.

 

Anúncios

Os sabores e dissabores de morar sozinho

forever-alone

Quando se mora sozinha muita coisa acontece:

Você limpa a casa quando quer, bebe agua direto da garrafa, sai do banheiro sem toalha, fica nu sempre que quiser, cozinha nu, lava louça nu, dorme nu, faz tudo nu.

Lava louça quando quer, come o que quiser na hora que quiser, lava roupa quando não tiver mais jeito mesmo, deixa pra estender a roupa depois que você terminar de assistir um vídeo.. ou cinco.

Coloca a musica no volume que quiser, dança ridículo, afinal ninguém esta vendo.

Dorme tarde, acorda tarde.

Não precisa atender o telefone e nem o portão se não quiser.

Vai no banheiro de porta aberta, toma banho de porta aberta.

Arruma as coisas do seu jeito.

Dá festa quando quiser.

 

Quando você mora sozinho muita coisa acontece.

 

A casa suja muito e você tem que limpar.

A garrafa de agua esvazia muito rápido e você tem que encher.

Tem que secar o banheiro e todo pingado que você deixou no chão pq saiu sem toalha.

Não em ninguém pra pegar a toalha pra você quando você esquece.

A louça na pia acumula e você tem que lavar pra poder continuar comendo e bebendo e não juntar bicho.

pia-de-louc%cc%a7a

Você tem que lavar sua roupa e começa a economizar e usar a mesma roupa quantas vezes for possível, que além de lavar quer economizar agua.

Pode demorar o tempo que for, é você que vai estender a roupa no varal.

Não tem ninguém pra dançar ridículo com você e nem apreciar sua bela voz fazendo aquele solo da sua música preferida.

Não tem ninguém para te acordar e as chances de se atrasar são enormes.

Você tem que atender o medidor da agua, da luz, o carteiro, se eles passarem e você não ver, vai ter dor de cabeça.

Por mais que você arrume as coisas elas nunca vão estar arrumadas de verdade.

Você percebe o quão parecido com seus pais você é, cria neuroses de fechar a casa, ver se realmente esta trancada.

Você começa a gastar seu dinheiro com “coisas de casa”.

Gastar dinheiro com conta é muito, muito doloroso.

Se você não cozinhar ,você come fora e seu dinheiro vai embora mais rápido ainda.

Seus alimentos estragam com facilidade e você se sente um bosta jogando comida fora. (porque estragam tão rápido?)

Você enjoa da sua própria comida.

Não ter uma rotina de almoço e janta faz mal para o seu corpo e para sua mente.

Você ouve cada barulho que as vezes nem existe mas durante a noite são grandes e perturbadores, você fica escolhendo o que seria pior, um fantasma ou um ladrão.

Você tem que acabar(matar) as pragas na sua casa, formigas, baratas, ratos (Argh!)

Você tem que arrumar tudo que estraga, varal arrebentou? Você que prega, Tv Pifou? Fuça até arrumar, Chuveiro queimou? Acaba de tomar banho gelado até arrumar uma solução.

Você se percebe falando muito mais sozinho, afinal não tem ninguém pra conversar com você.

Não tem ninguém para te contar algo legal quando você esta de mal humor.

Você não pode comentar a novela/série em tempo real com ninguém.

Acabou algo importante? Vai ter que sair para comprar, não importa quanto afim você esteja de sair.

Pãozinho quentinho de manha? Só se você for buscar.

Quando você fica doente não tem ninguém para te mimar.

Se você tem bichinhos em casa, é sua vez de colocar comida, recolher as bostinhas, levar pra passear, no veterinário, brincar, e todas as responsas de “pais” mesmo.

TODO DIA.

Você arruma a bagunça depois da festa.

 

Pense bem antes de tomar essa importante de decisão. É tão bom quanto uma facada no baço

🙂

 

Stop Lola, Stop

stoped Lola

 

Há um mês meu contato de trabalho acabou, depois de dois longos anos de jornada.A decisão em rescindir o contrato de trabalho vinha a muitos meses, aquela insatisfação, estress, insegurança e tudo que carregamos quando pensamos em tomar a difícil decisão de sair do emprego.

Comecei a trabalhar bem cedo, aos 13 anos, desde então, minha jornada tem sido intensa, sempre migrava rapidamente entre um emprego e outro, e em  todos sempre coloquei muita garra, perseverança e busquei “vestir a camisa da empresa”.

Muita vezes, colocava a empresa em primeiro lugar, antes de mim e da minha vida particular.
Estava doente, mas ia trabalhar mesmo assim.
Quebrei a perna, fui buscar trabalho para fazer em casa.
Tive meu pai internado durante 45 dias no hospital, 45 dias que eu intercalava entre trabalhar presencial num dia e no outro trabalhar em casa pra poder conciliar com as visitas no hospital.

Entre várias outras coisas.
O ritmo de vida de quem trabalha em metrópoles é assim, agitado, corrido, [e estressante, é esmagador.
Isso não é coisa especifica minha, nem sua, mas da grande parcela de trabalhadores assalariados e de micros e pequenos empresários também, ter sua própria empresa também exige muito de você, mas vai chegando uma parte da sua vida que você questiona sobre muitas coisas, você pondera muitas outras e altera algumas prioridades na sua vida.
Eu tenho um pouco mais de 15 anos de trabalho, e ainda vou fazer 30 anos, pensar que vou me aposentar daqui a 20 ou 30 anos ainda é um pouco desesperador pra mim.
Depois de tantos anos de correria, invertendo prioridades, conciliando, trabalho, estudos, família, amores, amigos, casa, etc, tem uma hora que seu corpo e sua mente fala: DESACELARA!

Slow Down

E eu desacelerei. Sai do emprego,  diferente das outras vezes eu estou focando um pouco mais em mim, sem aquele desespero em arranjar outro emprego na sequencia, sem o peso de estar em, testar a rotina.

Resolvendo aquelas coisas que nunca temos tempo de resolver, dormindo até mais tarde, tirando algumas séries da gaveta, voltando a escrever, descobrindo novas músicas e composições, aproveitando meus pets, meu avô, minha própria companhia.

 

Estou adorando esse momento e estou procurando não me cobrar demais quanto o tempo que vou ficar fora do mercado, qual será o meu novo emprego, que área devo ingressar agora, etc, etc, etc.
Nos desacelerar já é difícil, mas desacelerar os outros é quase impossível.
Uma semana depois que sai do emprego, falei com ex amiga de trabalho, atualizando como estavam nossas vidas e lá veio a pergunta:

– E ai já esta trabalhando, já esta procurando algo?

– Não, eu ainda nem fiz minha homologação.

Encontrei um familiar que soube que tinha saído do emprego:

E ai, já ta procurando, tem algo em vista?

– Não, não faz nem um mês que sai.

– Ah.. mas minha filha quando ficou desempregada, estava buscando emprego no dia seguinte e demorou 6 meses pra conseguir.

Sim, eu sei o que é procurar emprego no dia seguinte, eu sei também o que procurar emprego trabalhando inclusive, também sei o que é sair de um trabalho e ir o outro assim direto, sem pausa.
Dai você encontra um colega que se surpreende com a sua decisão:

– Nossa pediu as contas em plena crise, minha amiga pediu as contas e já faz um mês que nem é chamada para entrevista.

Stop Lola

Eu juro que entendo essa “pressa” das pessoas em arranjar outro emprego imediatamente pós saída de seus respectivos empregos, lembra eu ja fui assim.
Mas desacelera ai que eu to tentando desacelerar daqui.

Uma dica é, quando encontrar alguém que acabou de sair do seu emprego, do relacionamento, da faculdade, ao invés de perguntar: e ai quando vai voltar? Quando vai arranjar outro? Tente saber o porque, quais os planos da pessoa, não acelere, desacelere a sua vida e a vida dos outros também!

 

🙂

 

Ansiedade, Pânico – Sindromes

ansiedade

Você perde o sono durante a noite ou desperta mais cedo que seu horário habitual, até ai, tudo bem.

Conforme você vai “acordando de verdade”, percebe que não esta no seu estado normal, tem alguma coisa diferente no ar.

Quem tem ansiedade, sabe que nem sempre os sintomas são os mesmos e dificilmente logo de cara você percebe que vai ter uma dia de crise.

Palpitações, arritmias, cabeça a mil, vontade de fazer tudo, mil planos.

Momentos depois você sente aquele cansaço, aquela vontade de dormir, dar uma relaxada, vontade de fazer nada.

Não que isso seja obrigatoriamente igual para todos, mas acho que a ansiedade da dessas, meio indeciso, meio bipolar, meio tudo, meio nada.

Ansiedade é 90% das vezes desagradável, as vezes é só aquela ansiedade de boa pra determinado evento, aniversario, viagem.

Pra mim, a maior diferença entre ansiedade nossa de cada dia e o transtorno de ansiedade se dá pelo motivo, ou no caso pela falta dele.

Você sabe reconhecer quando esta ansioso por uma entrevista de emprego ou aquela conversa tensa com seu chefe, por exemplo. Reconhece o sintoma, normalmente não sabemos lidar bem com eles, as vezes até tentamos certas técnicas, respira, respira, musicas relaxantes, tenta desacelerar.

Mas e quando essa ansiedade vem e você nem sabe exatamente o porque.

Crises de ansiedade pode vir (mas não obrigatoriamente) acompanhada de pânico, medo, estress, etc., o que só faz piorar o quadro.

 

Ansiedade é começar um texto com uma ideia, desenrolar de forma “corrida” sem saber exatamente onde se quer chegar.

Coesão?

É tomar a decisão de começar uma coisa e mudar de ideia no meio do caminho.

Ansiedade

 

Coletor Menstrual – Sem nojinho ou tabu.

02

Ainda hoje existem alguns tabus quando o assunto é menstruação, grande parte das mulheres cresceu ouvindo que é algo nojento, anti-higiênico, e falar sobre menstruação algo imoral. Afinal, fomos criadas em uma sociedade patriarcal e machista que a todo custo tenta nos privar, inclusive do auto-conhecimento, sim, menstruação também é auto-conhecimento. Você conhece o seu corpo? O seu fluxo? Tem contato com seu sangue? Qual a textura? E o cheiro?

É certo que muitas de nós associamos a menstruação (ou monstruação, como quase sempre me referi) a sensações de desconfortos, coceiras, alergia e até nojo… Mas precisamos atravessar essa barreira e o coletor menstrual é algo muito interessante para ajudar nessa  conexão com nosso corpo, com a menstruação, afinal ela nos visita todos os meses.

Costumo dizer que o Coletor Menstrual é uma das melhores invenções já feitas. Continuar lendo

O parto

Parto natural

Ponta pé inicial na criação de um site/ blog:
Nasce a ideia, muitas vezes amadurecida, detalhada, planejada, as vezes assim: “vou fazer” e tá pronto…
Hora de cuidar desse feto:
Em qual plataforma fazer?
Design, cor, botões, menus, páginas…
Nome?
Detalhes, detalhes, infinitos detalhes…(ops, “que esse botão ta fazendo aqui?”)
OK tudo pronto (ou quase) e agora, com qual postagem vou começar? Continuar lendo